30 de nov de 2007

Das últimas andanças...

Muita coisa aconteceu desde a última postagem aqui no blog... de São João del Rey pra cá, fomos à Uberlândia participar da linda edição do Festival Jambolada, quando dividimos o palco com amigos como os Superguidis, Vanguart e Porcas Borboletas e pudemos ver de perto o bonito trabalho que os integrantes do Espaço Cubo estão desenvolvendo por todo o Brasil fortalecendo o Circuito Fora do Eixo. Mais tarde, estaríamos todos alguns de nós desse parágrafo no Acre;


O Quarto das Cinzas no Jambolada - Por João Eduardo



Encontro com os Guidis na ida, em Guarulhos


Eu vim com a Nação Zumbi!


Play TV


Na sequência voltamos para São Paulo para uma semana cheia. Gravamos dois programas que ficaram muito bacanas. Poploaded, programa apresentado por Lúcio Ribeiro e Fábio Massari, o Reverendo, veiculado pelo portal IG, onde fizemos quatro músicas; e o quadro 12 Horas no Estúdio, do programa Tramavirtual, que é exibido no Multishow.


Teleporongas - por Fábio Battista


Recording Poploaded - por Fábio Battista

A frustração de não ter conhecido o Massari na gravação do Poploaded foi compensada pela ótima experiência no estúdio da Trama, lugar por onde já passaram todos os nomes dignos de nota na música brasileira. Do pessoal, aos equipamentos, passando pelo lugar, que é dotado de uma energia musical muito marcante, essas foram doces 12 horas.





Sem Ronaldão, nada de ação!

Para conferir o resultado dessas gravações é só clicar nesses links aqui:

Poploaded do Portal IG
Tudo ao contrário: http://youtube.com/watch?v=GoqPR7AYQk4
Nada Além: http://youtube.com/watch?v=OjWmJ4dXhFI
Enquanto Uns Dormem: http://youtube.com/watch?v=LhiLB-du1zM
Lego de Palavras: http://youtube.com/watch?v=zymf4r9br_g


Retrato Calado no quadro 12 Horas no Estúdio:http://youtube.com/watch?v=tjl09GDt7kk

Para ouvir a música, ver a letra e baixar:
http://tramavirtual.uol.com.br/artista.jsp?id=66346

Depois das gravinas voltamos à terra-mor do triângulo mineiro para subir ao palco junto com o Falcatrua em nossa segunda apresentação pelo Conexão Telemig. Dessa vez, tocamos na praça (a mesma onde o Jambolada havia sido encerrado com apresentações memoráveis d'O Quarto das Cinzas e Móveis Coloniais de Acaju) em uma noite quente e cheia de gente interessante.

Berlândia, Berlândia...

Das Gerais às terras de Galvez rumamos para um lugar que não conhecíamos, o Acre. Digo isso, porque há muito mais no Acre do que qualquer um de nós pudesse ter percebido. Da cor do tempo ao entardecer e do próprio tempo aos temperos carregados de pimenta de cheiro, o Acre é meu mais saboroso mistério. Eu, João e Anzol fomos antes para aproveitar o Acre, matar um pouco da saudade e auxiliar na produção do Festival Varadouro. O Magrão só chegou na véspera do show e foi ele quem me explicou, com Nietzche, que só se repara nas torres de nossa cidade quando nos afastamos dela.

"A vista da cidade de Rio Branco é uma doidêra"
e eis a vista de onde havia uma jaqueira...

Em quase um mês no Acre vimos o Catraia Records (o selo que lançou nosso primeiro EP em 2005) se transformar em Coletivo Catraia e fazer do Varadouro um grande laboratório para a cena musical acreana.


Pablo Capilé, Adaildo Neto e Daniel Zen,
na reunião que organizou o Coletivo Catraia no Acre

Muitos fãs, amigos e músicos, que lembro, presentes em nossos primeiros shows como público, estão agora, junto com quem movimentava a cena por lá, à frente da contribuição do Acre para o bonito processo de democratização que toma de assalto a música brasileira e mundial.

O mapa da coletividade: músicameio/músicafim

Em Rio Branco, deu também para ensaiar e registrar a musicalidade de Hermógenes, do grupo Capú, no documentário sobre os Porongas, que será lançado junto com o DVD do Itaú Cultural, ano que vem.

Hermógenes conosco no Varadouro: honra, música, mágica - por Renato Reis

E foi também nesse pequeno mês que vimos um Varadouro seguindo seu ritmo de crescimento e sua vocação de caminho da música no Acre, apresentando uma nova safra de bandas acreanas como Marlton, Survive e Filomedusa. E é claro, no clima dos bonitos encontros que os festivais proporcionam, nos vimos diante de um público cantante e consciente de que o Acre tem sim muito a dizer.

Los Porongas no Varadouro, pelos olhos sempre lisérgicos de Renato Reis

Depois do Varadouro, voltamos para Sampa para cumprir uma agenda diferente. Pela primeira vez, faríamos uma temporada em uma casa noturna de São Paulo. As quartas-feiras de novembro seriam para os Los Porongas destilarem suas canções no Sarajevo, recanto alternativo/underground paulistano, na Augusta. Dizem as boas línguas daquele lugar que o Sarajevo tem alguns mistérios. E eu que pensava que mistério fosse coisa de causo de seringueiro.

É... não sei sobre a mística do Sarajevo, mas sei que momentos mágicos têm acontecido naquele lugar. Logo no primeiro show, quando fazíamos Come Together, do meio do público me sai um senhor com uma folha na boca fazendo a melodia do refrão da música. Não deu outra, ele subiu no palco e foi uma sonzeira. Essa primeira noite teve um recorde de público para uma quarta-feira na casa, o que nos deixou muito satisfeitos.

Sarajevo, place of causos...

Os outros shows, que sempre contam com a presença de fãs e amigos (até o Dande Tavares, o primeiro cara a contratar os porongas, esteve por lá!), têm sido muito divertidos. Num deles, tivemos a abertura da banda UNIT(CE), um antigo projeto do guitarrista Carlos Gadelha, d'O Quarto das Cinzas, além da participação de Laya Lopes, tb d'O Quarto.

Ontem rolou a última edição das quartas no Sarajevo no melhor dos climas, com o show contando com a participação mais que especial de Gigi, da Vanguart, que cantou Enquanto Uns Dormem comigo. A boa notícia é que o dono da casa nos convidou para um show no próximo dia 08/12, um sábado, a noite forte da casa.Good vibes, good notices.

Enquanto Uns Dormem, com Reginaldo - por Angela Samapaio

Para conferir fotos dessas e outras noites, basta acessar o Picasa da fã número um dos porongas em sampa, Angela Sampaio. http://picasaweb.google.com.br/angelaf.sampaio

Hola! Los Porongas na Espanha!!!

E por falar em notícias, foi exatamente Enquanto Uns Dormem a música escolhida pela revista espanhola Zona de Obras para constar em sua coletânea sobre novidades do rock. O disco será vendido junto com a revista em dezembro nas plagas de mouros europeus. Good notices!

Entre a temporada no Sarajevo, houve três outros shows em São Paulo, Londrina e Porto Alegre. Tocamos no OUTS, dia 10/11, numa noite solo. Lembro que no improviso de Come Together rolou até James Brown;

Camarim do Outs, depois do show

No dia 18, rumamos pela primeira vez com a banda ao sul do país para nos apresentarmos na sétima edição do Festival Demosul, que acontece em Londrina. Lá, do lado da rodoviária tem uma rua chamada Acre. Estaríamos em casa? O show do Demosul foi emblemático, apesar de termos tocado cedo demais, porque o público respondeu muito bem às nossas canções e porque aquela noite, já podíamos dizer que tínhamos tocado em todas as regiões do país.

No Demosul pudemos rever muitos amigos e fazer outros. Lá houve encontros etéreos com os Vanguart, revimos Armad e Ney do Espaço Cubo, pedreiros incansáveis; assistimos a mais um show destruidor do Móveis, conhecemos Jonnhy, vocalista do Toa toa, do Rio, e compositor de Tropa de Elite (pega um pega geral... essa mesma!) e a galera do Eddie, fundadores do mangue beat, junto com Chico, a Nação e Mundo Livre. Nossa volta para sampa foi à companhia de alguns integrantes do Ludov, numa tranquila viagem de van.

Lago Igapó, símbolo londrinense

Semana seguinte, o buraco, ou melhor, o destino era mais embaixo. Desta vez fomos a Porto Alegre, para tocar no Gig Rock Circus, evento que reuniu muitas bandas locais e grandes nomes do independente como Autoramas, Moptop - os dois melhores shows da noite na opinião dos porongas - e Pública, que fez sem dúvida, a mais emotiva das apresentações.

Porto Alegre da janela do hotel

Pública

Autoramas

Moptop

Na beira do Guaíba, onde aconteceu o Gig Rock, sentimos falta dos Superguidis, que estavam se apresentando no Goiânia Noise. Certa hora conversando com o Anzol, contemplando a beleza daquele rio, ele me disse: - Há dois anos a gente estava admirando o Madeira em Rondônia, hoje é o Guaíba. E a pergunta que fica é... a que outros rios nossa música ainda vai nos levar?
Que venha o Sena...

Guaíba com chuva - por João Eduardo

  • Festival Jambolada (Uberlândia-MG) – 14/09

  • Gravação Poploaded - IG (SP)- 26/09

  • Gravação Trama 12 horas (SP) – 27/09

  • Conexão Telemig (Uberlândia-MG)) - 05/10

  • Festival Varadouro (Rio Branco-AC) – 20/10

  • Sarajevo (SP) – 07/11

  • Outs (SP) – 10/11 - solo

  • Sarajevo (SP) – 14/11,

  • Festival Demosul (Londrina-PR) - 18/11

  • Sarajevo (SP)– 21/11

  • Festival Gig Rock Circus (Porto Alegre-RS) – 24/11

  • Sarajevo - 28/11

Saudações amazônicas a todos!
diogo soares